Mulheres de Gaya é um sonho realizado por duas mulheres, Carolina Cataldo Pereira e Beatriz Hochheim. 

 

No final de 2016 na pequena cidade de Garopaba, litoral de SC, Carol e Bia se encontraram na escolha de seguir um chamado que sentiam em seus corações de compartilhar e expandir as curas e ferramentas que vinham recebendo em sua busca pessoal, um desejo de conectar corações as necessidades da Terra. 

 

Através de círculos femininos, rodas de canto e de cura começaram os primeiros trabalhos. Partes do caminho da sua busca pessoal, na {re}conexão com seus ventres e corações, memórias ancestrais e com o feminino sagrado.

No início de 2017 chega a visão e o nome 'Mulheres de Gaya', uma rede que hoje identifica esse trabalho e deu forma para que tudo começasse a acontecer.

A partir dai muita história para contar, círculos realizados em diversas partes do Brasil, Jornadas de cura, Viagens incríveis e uma grande família de amigues se formou nessa rede de expressão e cura que se tornou Mulheres de Gaya. 

Neste caminho juntas, muitas novas portas foram se abrindo, navegando por diversos espaços de cura e desenvolvimento pessoal encontravam um pouco mais de si e do trabalho que ofereciam. 

Desde o Peru, Amazônia, México, a sexualidade consciente, círculos femininos, estudo com Abuelas, Pajés e Juremeiras de escolas tradicionais, assim, em cada encontro, em cada círculo, cada uma foi mergulhando e encontrando o que fazia sentido a si, formando a união de cada parte desse caminho, dessas mulheres que carregam em si a coragem de serem elas mesmas.

Em 2020 Bia sentiu a necessidade de trilhar novos caminhos, Carol seguiu mergulhando nos estudos com as medicinas ancestrais da floresta amazônica e guiando essa imensa casa que é Mulheres de Gaya.

 

Como a vida tem seus mistérios 1 ano depois, no inicio de 2021 se reencontram novamente para unir caminhos e construir pontes. Atualmente seguem com a visão de ampliar ainda mais essa rede, desenvolvendo novas parcerias e projetos que servirão de alimento para as pessoas que estão nessa busca por uma sociedade de Bem Viver e de Cuidado com a Terra.

A Jornada é longa e vai se refazendo a cada passo! Mulheres de Gaya é apenas o nosso caminhar!

Mulheres de Gaya 

Carol Numa Shahu é sacerdotisa, guardiã do ventre, iniciada na Jurema Sagrada, nas dietas de estudo das plantas dos povos indígenas brasileiros Yawanawa e Katukina na floresta amazônica, dançante da lua, apaixonada pela música, pelo canto, pelos sons da floresta e da natureza. Pesquisadora do corpo e da escuta profunda das emoções. Tem em si e no seu próprio caminho (relações, família e sociedade) a sua maior pesquisa de vida.

Nascida em São Paulo, viveu muitos anos na pequena cidade litorânea de Garopaba-SC. Desde cedo esteve envolvida com a música e a espiritualidade.
Com o passar dos anos, foi dando voz ao seu dom, tornou a música e seu corpo uma de suas maiores expressões da cura.
Vivenciou seu despertar em 2007 por meio de um pequeno grupo de trabalhos xamânicos, onde reaproximou-se da sua essência e das plantas sagradas ancestrais.

Escutando o chamado ao serviço, foi iniciada junto a um grupo de Reiki, onde trabalhou na construção do Grupo Comunitário de Garopaba. Em 2009, com 23 anos, facilitava às iniciações juntamente a outros mestres do grupo.
Alinhou muito o seu trabalho com o canto através da música de rezo e cantos ancestrais.

 

Pela força de um grupo de mulheres ancorou a energia para o desenvolvimento das vivências, rodas de cura, de canto e despertou para o equilíbrio de sua essência Feminina na co-criação desse trabalho, "Mulheres de Gaya".


Em seu caminhar, passou por diversas vivências terapêuticas, xamânicas, jornadas, casas espiritualistas e círculos de mulheres.
No caminho terapêutico estudou astrologia, constelações familiares, sexualidade consciente, terapias complementares, florais, plantas e medicinas ancestrais da floresta amazônica...

Iniciada na Jurema Sagrada tem como inspiração a união de cada parte do caminho que trilhou até aqui, trazendo a sua força para o despertar da consciência individual e coletiva.

WhatsApp Image 2021-01-26 at 09.12.04 (2).jpeg

Carol

CAL_8653.JPG

Bia

Bia Hochheim
Terapeuta ocupacional de formação, atuou 15 anos nesta area. Em paralelo à sua profissão, sempre buscou o caminho holistico, aquele que enxerga o SER como um Infinito mundo de particularidades!
Desde 2003 participa de vivencias espirituais, iniciações, cursos, formações, jornadas, todas com um objetivo em comum: apoiar a sua propria evolução pessoal e partilhar os conhecimentos com mais pessoas!

Em 2012 firmou seu caminho espiritual em uma casa iniciática espirtualista, Fraternidade Branca Universal dos Anjos, e durante alguns anos desenvolveu na prática a consciência do seu trabalho espiritual/material.

Em 2016, um novo ciclo se inicia recebendo a iniciação de Guardiã do Ventre de Ines Gaya, e se deu inicio uma jornada de grande transformação e despertar da energia feminina, reconectando-se ao poder do seu ventre e seus ritos de passagem.
Neste mesmo ano, junto de sua parceira de caminhada, Carol Numashahu, deu vida ao 'Mulheres de Gaya' - @mulheresdegaya - um Movimento que é ponte para  todos os encontros que despertam a  potência da Vida!

Em 2017 recebeu a iniciação ao cachimbo sagrado, batizado na Jurema por Marcely Carvalho, juremeira e parteira da tradição, junto com o estudo dos banhos de ervas e técnicas de despertar, ancoramento e proteção espiritual e assim seguiu com o Mulheres de Gaya ancorando o trabalho 'Medicina do Ventre' em muitas cidades do Brasil.

Em 2020, um novo ciclo se inicia com a formação em Leitura de Registros Akashicos que expande os horizontes e atualiza a maneira de servir à evolução do Planeta!

Em 2021 foi iniciada na Jurema Sagrada em Recife - PE - onde recebeu o acentamento de Maria Conga, uma preta velha que orienta as pessoas através de sua sabedoria milenar.

Segue aprofundando no trabalho de conexão entre os mundos, oferece o cachimbo sagrado como uma  ferramenta de atendimento de Orientação Espiritual à serviço do campo de Maria Conga.

Em seu caminhar, leva na bagagem a prática dos aprendizados que já recebeu e continua aprofundando nos estudos, aprendendo sempre e co-criando novas experiências para continuar como canal de (auto)CURA, fortalecendo o campo de atuação como facilitadora do desenvolvimento pessoal.
 

Agradecimentos

Neste caminho com certeza são muitas pessoas a agradecer, muitas pessoas que as vezes de uma forma muito sutil nos auxiliaram a construir Mulheres de Gaya, outras talvez não façam idéia do quanto foram fundamentais para que tudo acontecesse.

Nosso coração é pura gratidão as nossas famílias que nos auxiliam a reconhecer e relembrar quem somos aqui nessa Terra, que deram as raízes e que nos apontam a direção. Por todo apoio nos momentos mais fundamentais dessa vida.

Nosso coração é pura gratidão aos guias que acompanham esse trabalho, que estão aqui segurando e sustentando cada passo desse caminho e desse trabalho do lugar real de onde ele vem.

Nosso coração é pura gratidão a Grande Mãe a ao Grande Pai, essas duas forças que nos unem, dão vida e nos conduzem a cada respiração e que tornam possível tudo que acontece nesse caminho, esse Grande Espirito Criadore.

Nosso coração é pura gratidão a estas professoras incríveis Marcely Carvalho e Waxy Yawanawa, mulheres que nos ensinam muito sobre quem somos. E tantos professores e professoras que nos auxiliaram a reconhecer nosso caminho e todas escolas que passamos.

Nosso coração é pura gratidão a todas manas e manos desse caminho, irmãs e irmãos do rezo, da vida e das aventuras, pessoas que tornam a vida muito mais colorida, alegre e prazerosa.

Citar apenas alguns irmanes poderiam nos fazer esquecer de outres que foram ou são fundamentais, então deixamos aqui a nossa gratidão e axé a cada pessoa que sabe que faz parte dessa jornada, nossos parceires de trabalho, maravilhoses mestres, cursos, círculos ou trabalhos que nos inspiram.

 

E principalmente todas as pessoas que estão junto nas rodas, as parceries de trabalho e cada pessoa que participa dos nossos trabalhos, sãos vocês que fazem acontecer tudo isso!

Gratidão imensa por tornarem possível este sonho vivo chamado Mulheres de Gaya!! Tamu juntes!! Yhuuuuuuuuuuuuuu Viva a vida!!!

Com Amor, Carol e Bia